sexta-feira, 30 de julho de 2010





Olhando da janela que tantas vezes
me trouxe o infinito nas asas de um pássaro.
E é dessas cinzas,
de tudo de ruim de tudo de bom
do esterco da lama da flor do voo impensável,
do instante inatingível,
da busca da busca que me queima e me consome.
No meio de tantos antagonismos
eu procuro me encontrar.

Carlos Maia
19/04/99

Nenhum comentário:

Postar um comentário