quarta-feira, 8 de setembro de 2010

AS SOMBRAS



De EDGAR BAYLEY
Tradução de Antonio Miranda



deixa que esta noite atinja a margem da água

deixa que a sombra oculte pouco a pouco o mar

êle não interrompe sua ronda

nem faz pausas pelo caminho e segue cantando com teu coração

deixa que esta noite surpreenda nosso eco

e a terra afirme em tua alma

se miras melhor as sombras perderão seu equilíbrio

se abrirão em claridades e a água voltará ao seu curso



se miras muito elas rasgarão suas entranhas

e a aurora sairá do mar

estendendo-nos a mão molhada

e um assovio longo e límpido



então poderemos andar pelos atalhos e os montes

até a noite seguinte

até que se aproximem outra vez as margens da água

os limites do espelho e da lua

Nenhum comentário:

Postar um comentário