domingo, 19 de setembro de 2010

Golden Gate Park



De JUAN CARLOS VÁSQUEZ
Tradução de Antonio Miranda


Quando se recolhem as sombras se levantam

as árvores ante mim e soa o fio do

anoitecer arrasando tudo,

sombras e mais sombras, violentas pausas.



Suavemente a morte sem que a agonia se faça

loucura, na quietude me perturbam palavras,

três dias falando de mulheres e em noite

de montanha todos os fantasmas se lançam

para acurralar-me,



pisadas, murmúrios, flautas e esse ranger

distante que completa com desproporcionados metais

meus tormentos,



suavemente morte sem que a fauna me asfixie,

sem que os turnos me plasmem em suas engrenagens

malditas,



vejo através do cristal a confidência e o

último anúncio em meus olhos rotos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário