quarta-feira, 8 de setembro de 2010

QUESTÃO DE TEMPO



De EDGAR BAYLEY
Tradução de Antonio Miranda



questão de tempo talvez

de andar em trens

de encontrar a luz do sol

a guerra e a paz

o caminho que leva ao irmão

ao inimigo

questão de tempo

a música virá

um tribunal julgará teu medo tua pobreza

e outra manhã de modo diferente

o vagabundo que se perde balbuciando

no idioma que os homens falarão

questão de tempo

colonizadores da tristeza e claridade

em tudo falará o difícil amor

a transparência

mas sempre a vertigem

estenderá sombras sobre as sendas

desvendará céus sobre as vozes e o silêncio

e homens solitários

e mulheres sozinhas

falarão sem amparo

sem encontrar a palavra apropriada

o nome da noite

Nenhum comentário:

Postar um comentário