terça-feira, 28 de setembro de 2010

SOMBRA NO ESCURO





Céu azul tornou-se cinzento e escureceu
Minha sombra no escuro divaga
Neste devaneio sou entranha da noite
Minhas veias cospem sangue

A solidão desfila nua no quarto
Frases perdidas se encontram na mente
Meus olhos contemplam minha sombra
A saudade morreu na esquina
Agora somos amantes.

Céu negro tornou-se azul
Não cheguei a lugar algum
Minha sombra perdeu-se no sol
A noite deixou sua marca em meu corpo
Solidão! Onde você está?

Tadeu Rocha

4 comentários:

  1. Caro Tadeu:

    Este teu poema cabem várias interpretações, uma no sentido de vc ser amante da Saudade e depois grita pela solidão como se estivesse procurando por ela.
    Outra que vc conseguiu realmente uma amante e que no final faz pouco caso da solidão como um grito de ironia "Solidão! Cadê você?" Porque vc já não se sente mais só. Enfim, poemaço!!!

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Grande Poeta,

    Valeu pelo seu comentário. Vc enriquece e muito esse espaço. E viva a poesia!!!

    ResponderExcluir
  3. E o bate bola de vocês dá gosto. Só agora (tardiamente) li o poemaço e os comentários. Dois cabra bons da febe tife da morrinha. Eita Tadeu. Precisamos nos juntar eu tu e Carlos. Carlos, tu e eu. Tu , eu e Carlos. Taquipariu. Vamos comer uma buchada, uma cabeça de bode e uma pitu gold geladinha. No toitiço. Se não der vamos de água mineral com gás kkkkkkkkkkkkkk Abração procê mano velho. Teu comentário sobre o post de Censura e Moderação engasgou muito filho da puta. Pode crer. E foi com uma classe estupenda. Desculpa o palavrão. Abração.
    Dom MIngão.

    ResponderExcluir
  4. Grande Domingos,

    Vc e Carlos comentando em um mesmo post, vale muito. Precisamos marcar um encontro. Valeu mano.

    ResponderExcluir