quinta-feira, 9 de dezembro de 2010





Queixa antiga
De Cassiano Ricardo




É uma dor que me dói muito longe...

Dor antiga, separada do corpo.



É uma dor que me dói não sei onde,

meio física, metade celeste.



Um tanto minha, outro tanto da terra.



Veja o galho cortado a uma fronde

e que ainda dá flores sentidas

e que assim à sua árvore responde.



Seu futuro parece o meu passado:

minhas longas raízes ficaram

no chão duro de onde fui arrancado.



(No chão duro onde arroios felizes

ainda cantam pelos vãos do passado)

Nenhum comentário:

Postar um comentário