domingo, 2 de outubro de 2011

Devaneio




As folhas deitavam suavemente no asfalto da Rua Osvaldo Cruz. Pensamentos se confundiam na cabeça do jovem José. Seus pés queriam parar, mas a sua mente ordenava que continuassem. Seu devaneio seria o cano de escape que aliviaria sua tensão.

As folhas continuavam a cair. O vento passeava em forma de brisa. Ali estava! À sua frente surgia o hospital. Queria voltar. Não conseguia. Queria gritar. As pessoas que passavam sufocavam seu grito. Seus olhos alcançavam todo o prédio. O hospital lhe trazia o passado. Lembranças... Alguém! Morte! Dor! Devaneio!

Um amigo o reconhece. Grita seu nome! José corre! Não sabe por quê. Talvez seja a loucura que lhe impulsionava a correr. Novamente escuta seu nome. Não para! A Conde da Boa Vista o recebe. Um choque! Um grito! Não existem mais pensamentos. Contudo as folhas, indiferentes, continuam a cair no asfalto.

Tadeu Rocha

2 comentários:

  1. Nossa, Tadeu! Que triste! Trazes a dor humana de modo quase cru. Bonito, mas triste..."é preciso um bocado de tristeza pra fazer um samba com beleza", já cantava Vinícius.
    E, pode ser devaneio meu, porém vi uma ponte entre este teu texto e o teu Metamorfose. Vento, folhas... Aqui outra conclusão, ou vista de outro modo. O fato é que fiquei atravessada musicalmente com um e outro.
    Neste, fiquei com um trecho insistente da música de Milton na cabeça(Travessia):
    "Meu caminho é de pedras, como posso sonhar
    Sonho feito de brisa, vento vem terminar
    Vou fechar o meu pranto, vou querer me matar".
    Eita!
    Abração, meu amigo.
    Que Deus te abençoe e a todos os Josés também.
    Magna

    ResponderExcluir
  2. Perfeita em sua análise Poeta Magna. O conto foi escrito há um bom tempo. Após publicá-lo, ao acordar de madrugada para cuidar do meu pequeno Lucas, me veio a imagem de versos secando ao sol. E o poema brotou ao imaginar a fuga dos versos. A travessia. A transformação. Foste certeira, pois existe uma ponte entre os dois escritos, com visões diferentes sobre o drama da vida. Felicidades mil para você e todos os seus.

    ResponderExcluir