quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Maria Bethânia - Tocando em Frente /Disco Voador de Fausto Fawcet

Eu estou sempre aqui, olhando pela janela. Não vejo arranhões no céu nem discos voadores. Os céus estão explorados mas vazios. Existe um biombo de ossos perto daqui. Eu acho que estou meio sangrando. Eu já sei, não precisa me dizer. Eu sou um fragmento gótico. Eu sou um castelo projetado. Eu sou um slide no meio do deserto. Eu sempre quis ser isso mesmo. Uma adolescente nua, que nunca viu discos voadores, e que acaba capturada por um trovador de fala cinematográfica. Eu sempre quis isso mesmo: armar hieróglifos com pedaços de tudo, restos de filmes, gestos de rua, gravações de rádio, fragmentos de tv. Mas eu sei que os meus lábios são transmutação de alguma coisa planetária. Quando eu beijo eu improviso mundos molhados. Aciono gametas guardados. Eu sou a transmutação de alguma coisa eletrônica. Uma notícia de saturno esquecida, uma pulseira de temperaturas, um manequim mutilado, uma odalisca andróide que tinha uma grande dor, que improvisou com restos de cinema e com seu amor, um disco voador. Fragmentos do texto "Disco Voador" de Fausto Fawcet.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Gentileza gera gentileza!



Um Dia
(De Matisyahu)

As vezes eu Deito
sob a lua
agradeço a Deus, estou respirando
e rezo
Não me leve logo
Pois estou aqui por uma razão

Às vezes em minhas lágrimas me afogo
mas eu nunca deixo isso me abalar
Por isso quando a negatividade me cerca
Sei que um dia isso tudo vai mudar
porque
Todo o meu viver estive esperando
Estive rezando
para o povo dizer
que nós não queremos mais nenhuma luta.
não haverá mais guerras.
que as nossas crianças vão brincar

Um dia x6

Isto não é sobre
vencer ou perder
porque todos nós perdemos
quando eles se alimentam sobre o chão encharcado com sangue das almas inocentes
continue em frente, ainda que as águas permaneçam furiosas
neste labirinto você pode perder o caminho (seu caminho)
que poderia lhe deixar maluco, mas não deixe fazê-lo de modo algum.

Às vezes em minhas lágrimas me afogo
mas eu nunca deixo isso me abalar
Por isso minha negatividade circula
Sei que um dia vai mudar
porque
Todo o meu viver estive esperando
estive rezando
para o povo dizer
que nós não queremos mais nenhuma luta.
não haverá mais guerras.
que as nossas crianças vão brincar

Um dia x6

Um dia isso tudo vai mudar
tratar as pessoas iguais
parar com a violência
acabar com o sofrimento
um dia todo nós estaremos livres
e vamos se orgrulhar de ser
iguais
cantando canções de liberdade

Um dia x2

Todo o meu viver estive esperando
estive rezando
para o povo dizer
que nós não queremos mais lutar
não haverá mais guerras
e nossas crianças vão brincar

Um dia x6

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012




Busca

Quantas portas terei que abrir
Para encontrar o que de mim perdi?

Quantas estradas tortas
De paisagens magras
Ou florestas gordas
Terei que desbravar
Para encontrar o que de mim escapou?

Minha arca está vazia de corvos e pombas
Que se perderam no mar
Ou se esqueceram de mim quando pousaram no paraíso
Quantos mensageiros ainda terei que enviar
Para poder segurar um ramo de oliveira?

Visitar velhos fantasmas
Em mil noites de angústia
Quantos porões terei que rever
Para encontrar o que deixei fugir?

Profetas embriagados apontam todas as direções
Estrelas etílicas cruzam o céu em resposta
Um carnaval inesperado invade minha mente
E eu corro atrás do bloco da saudade

Quantas vezes terei que me encontrar
Para novamente me perder
E de novo me buscar?

Tadeu Rocha

terça-feira, 3 de janeiro de 2012





Noite mágica

Abri meu contêiner de Pandora
Vi a liberdade do caos
E busquei equilíbrio na tormenta

Caminhei com passos curtos
Pelas ruas agitadas
Em noite de tempestade

Observei o corre-corre das pessoas
Em busca de abrigo
Enquanto meu corpo abrigava o dilúvio

Turbilhão de vozes e olhares
Questionando minha sanidade
E o temporal caminhou comigo

A pneumonia veio logo ao meu encontro
Preço de uma noite mágica
Valeu a pena?
A tempestade grita que sim
Eu também

Tadeu Rocha